Mitos sobre o aprendizado da língua inglesa

CURSOS ONLINE SÃO O FUTURO E CURSOS PRESENCIAIS ESTÃO ULTRAPASSADOS?
Não. São apenas modalidades diferentes, mas um não substitui o outro. Cada tipo de curso é apropriado para um perfil específico de aluno. Alguns se adaptam bem aos cursos online e à distância, enquanto outros sentem-se mais seguros e aprendem mais em cursos presenciais. Experimente e veja qual é melhor para você. Mas não generalize.

ESTOU MUITO VELHO PARA APRENDER INGLÊS?
Não importa a sua idade, é sempre possível aprender Inglês. É verdade que as crianças e jovens têm mais facilidade, especialmente para aprender a pronúncia do idioma (porque o aparelho fonológico é formado por músculos e nervos que com o passar dos anos perdem um pouco a flexibilidade), mas se você deixou o tempo passar e agora se deu conta de que sempre há tempo para aprender coisas novas, vá em frente! Para quem tem força de vontade, tudo fica mais fácil! A sua disponibilidade e motivação são muito mais determinantes para o seu sucesso do que a sua idade.

É MELHOR TER AULAS COM UM PROFESSOR AMERICANO?
Mito! O que você realmente deve procurar em um professor é a dedicação, paciência e – principalmente – a didática, tendo essas qualidades, a nacionalidade é o que menos importa!
Nem sempre o americano vai ser o melhor para explicar e ensinar. Na maioria das vezes, especialmente para quem ainda está começando, é melhor ter um professor brasileiro que fale a sua língua, entenda as suas dúvidas e tenha um conhecimento aprofundado do que está ensinando. Veja que não é qualquer brasileiro que poderia dar aulas de português, afinal, nem todos dominamos aspectos mais técnicos da língua.

PRECISO MORAR FORA PARA TER INGLÊS FLUENTE?
NÃO! Muitas pessoas sequer viajam para um país de língua inglesa e mesmo assim alcançam a fluência. Assim como há muitas pessoas que já moraram fora e nem assim são fluentes (possuem apenas um inglês intermediário ou avançado). Para ser realmente fluente é preciso ESTUDAR. Estudar vocabulário, pronúncia, fonética… Veja, por exemplo, que muitos brasileiros não falam sequer o português corretamente ou possuem pouco vocabulário. E muitos estrangeiros que moram no Brasil também têm o português imperfeito. Ou seja, simplesmente estar em um local não é garantia de nada! O mesmo ocorre com a língua inglesa. Tudo depende apenas de ESTUDO e DEDICAÇÃO.